As defesas do ex-presidente do República Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-ministro José Dirceu pediram Justiça, nesta sexta-feira, que eles deixem a prisão.

“Nós aconselhamos o ex-presidente Lula a fazer o pedido para a sua liberdade estabelecida, com base na decisão proferida ontem pelo Supremo Tribunal Federal. Saímos da reunião e já protocolamos esse pedido, e agora iremos conversar com a doutora Carolina Lebbos, que deve analisar o pedido que acabamos de fazer”, afirmou o advogado.

A maioria dos ministros decidiu que, segundo a Constituição, ninguém pode ser considerado culpado até o trânsito em julgado e que a execução provisória da pena fere o princípio da presunção de inocência.

Em 30 de outubro, a juíza Carolina Lebbos informou que só iria decidir sobre a progressão de pena do petista depois do julgamento do STF. Cristiano Zanin, advogado de Lula, esteve na Polícia Federal em Curitiba nesta sexta-feira - Foto: Reprodução.

Na primeira instância, em decisão do então juiz Sérgio Moro, a pena imposta a Lula era de 9 anos e 6 meses, por corrupção e lavagem de dinheiro.

O juiz entendeu que Lula recebeu o triplex do Guarujá como propina da construtora OAS para favorecer a empresa em contratos com a Petrobras.

A pena de Lula nesse processo de 12 anos e 11 meses.

Este artigo foi resumido em 71%

Originalmente Publicado: 8 de Novembro de 2019 às 12:19

Fonte: Globo