O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que sairá “Mais esquerda” da prisão do que quando foi preso, em abril de 2018, há 580 dias.

Assim que deixar a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, o ex-presidente deve assumir o papel de principal opositor do presidente Jair Bolsonaro e planeja uma série de viagens pelo país, na tentativa de reaglutinar a esquerda, aproximar o campo progressista do centro e construir uma proposta alternativa de governo, com vistas eleição presidencial de 2022.

Este artigo foi resumido em 1%

Originalmente Publicado: 8 de Novembro de 2019 às 06:00

Fonte: Globo