Se a escolha do sindicato dos produtores de Hollywood dá a melhor pista para o vencedor do Oscar de melhor filme, então a cobiçada estatueta será entregue a 1917.

Na noite de sábado, em Los Angeles, o longa dirigido por Sam Mendes foi o grande premiado no Producers Guild Award, a cerimônia da categoria - e, nos 30 anos de existência do sindicato, 21 vezes o escolhido pelos produtores repetiu a dose na festa da Academia, incluindo os dois últimos anos, com Green Book: o Guia e A Forma da Água, e também Beleza Americana, que o próprio Mendes dirigiu em 1999.

“Esse filme foi inspirado em meu avô, Alfred Mendes, e minha esperança era honrar sua experiência”, disse Mendes, que coproduziu e dirigiu o projeto.

O cineasta disse ainda realizar o filme foi “Instrutivo, alegre e, de longe, a melhor experiência da minha vida profissional”.

Entre os prêmios honorários, o destaque foi Brad Pitt, que levou o David O. Selznick Achievement Award.

Em seu discurso, o ator arrancou gargalhadas ao dizer que, no início da carreira, ele se perguntava: “Mas que m… faz um produtor?".

Os prêmios PGA abriram a temporada dos sindicatos - na noite deste domingo, dia 19, acontece a festa dos atores; no dia 26, acontece a dos diretores e a dos roteiristas, em 1º de fevereiro.

Este artigo foi resumido em 35%

Originalmente Publicado: 19 de Janeiro de 2020 às 18:56

Fonte: Estadao.com.br