Também foram denunciados o hacker Walter Delgatti Neto, que admitiu ter invadido as contas e repassado as conversas para o jornalista, e outras pessoas ligadas a Delgatti: Thiago Eliezer Santos, Gustavo Henrique Elias Santos, Suelen Priscila de Oliveira, Danilo Cristiano Marques e Luiz Henrique Molição.

O MPF concluiu que o hacker Walter Delgatti Neto foi o “Responsável direto e imediato” pelas invasões do Telegram de 176 pessoas, utilizando uma brecha no sistema.

“Diferentemente da tese apresentada pelo jornalista, Glenn Greenwald recebeu o material de origem ilícita enquanto a organização criminosa ainda praticava condutas semelhantes, buscando novos alvos, possuindo relação próxima e tentando subverter a noção de proteção ao ‘sigilo da fonte’ para, inclusive orientar que o grupo deveria se desfazer das mensagens que estavam armazenadas para evitar ligação dos autores com os conteúdos ‘hackeados’, demonstrando uma participação direta nas condutas criminosas”, diz a denúncia.

Prossegue o procurador: “Greenwald, então, indica que o grupo criminoso deve apagar as mensagens que já foram repassadas para o jornalista de forma a não ligá-los ao material ilícito, caracterizando clara conduta de participação auxiliar no delito, buscando subverter a ideia de proteção a fonte jornalística em uma imunidade para orientação de criminosos”.

Greenwald divulgou uma nota afirmando que a denúncia uma tentativa de atacar a imprensa e “Um ataque direto” ao STF, devido a decisão de Gilmar Mendes de não haver investigações sobre o jornalista no vazamento das mensagens.

O procurador Wellington Marques apresentou denúncia tendo como base relatório finalizado pela Polícia Federal no fim do ano passado, que considerou, no entanto, que não havia cometimento de crimes por parte de Glenn Greenwald.

Marques o mesmo procurador que denunciou o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Felipe Santa Cruz por suposto crime de calúnia contra o ministro Sergio Moro, por declarações concedidas por Santa Cruz.

Este artigo foi resumido em 72%

Originalmente Publicado: 21 de Janeiro de 2020 às 13:32

Fonte: Globo