A Secretaria Especial da Cultura informou nesta quarta-feira que caberá ao próximo titular do órgão reavaliar a continuidade do Prêmio Nacional das Artes.

Em discurso para divulgar o prêmio nas redes sociais na semana passada, o então chefe da secretaria, Roberto Alvim, usou frases semelhante ao do ministro de Adolf Hitler da Propaganda da Alemanha Nazista, Joseph Goebbels, antissemita radical e um dos idealizadores do nazismo.

Em nota divulgada nesta quarta, a secretaria afirmou que o edital com as regras para a entrega do prêmio não foi publicado.

“A Secretaria Especial da Cultura informa que o edital do Prêmio Nacional das Artes não chegou a ser publicado no Diário Oficial da União. Caberá ao novo secretário reavaliar a continuidade do Prêmio”, diz a nota da secretaria.

A declaração de Alvim foi dada em vídeo postado na página da Secretaria Especial de Cultura no YouTube nesta quinta-feira para divulgar um concurso nacional de artes.

“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo - ou então não será nada.” Joseph Goebbels.

“A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada.”

Este artigo foi resumido em 44%

Originalmente Publicado: 22 de Janeiro de 2020 às 13:10

Fonte: Globo