Logo na estreia, o Peixe, agora comandando pelo português Jesualdo Ferreira, mostrou diferenças relevantes para o estilo do argentino Jorge Sampaoli, vice-campeão brasileiro na temporada passada.

Menos intenso, o Santos decepcionou em sua primeira apresentação e correu o risco de ser derrotado no segundo tempo, quando o Bragantino acertou o travessão de Everson.

A frustração pelo empate sem gols, porém, faz parte de um começo de trabalho, que naturalmente tende a evoluir nas próximas semanas, principalmente com o retorno de jogadores importante - como o venezuelano Soteldo, atualmente com sua seleção sub-23 no Pré-Olímpico, disputado na Colômbia.

E se todo mundo atacar, se movimentando e saindo de posição, e de repente precisar se defender? Não tem como! Com a bola, o primeiro momento para se defender e também para atacar.

Jesualdo Ferreira, técnico do Santos, contra o Bragantino - Foto: GUILHERME DIONíZIO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO. As diferenças A partir disso, as diferenças do Santos de Jesualdo para o Santos de Sampaoli passaram a ficar mais claras.

Com um time mais posicionado em seu campo de defesa, a marcação do Peixe contra o Bragantino começou na linha de meio-campo e não na metade ofensiva, mais próximo do gol rival.

Por vezes posicionado no 4-1-4-1 para sair com a bola, o Santos precisará dar suporte a Alison na saída de bola.

Este artigo foi resumido em 64%

Originalmente Publicado: 24 de Janeiro de 2020 às 07:00

Fonte: Globo