O Ibovespa ganhou fôlego tarde e fechou acima dos 119 mil pontos pela primeira vez nesta quinta-feira, embalado pela forte valorização das ações do setor financeiro, com Banco do Brasil frente, avançando mais de 5%. O Ibovespa subiu 0,96%, a 119.527,63 pontos, nova máxima de fechamento.

De acordo com o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, a reação do Ibovespa reflete principalmente a recuperação dos papéis de bancos, após quedas recentes, que deixaram os preços mais atrativos.

De acordo com o diretor de operações da Mirae Asset, Pablo Spyer, citando consulta a tesourarias de bancos, houve fluxo de compra por investidores estrangeiros, em busca de ações de primeira linha, em especial bancos.

Banco do Brasil subiu 5,6%, em sessão de recuperação nas ações de bancos e na esteira de reportagem do Valor Econômico de que o BB deve escolher um parceiro para a gestora de fundos da instituição, a BBDTVM, até a junho.

Ambev caiu 2,1%, tendo de pano de fundo comentários do ministro da Fazenda, Paulo Guedes, em Davos, de que pediu sua equipe estudos para a criação de um imposto sobre ‘pecados’, mencionando cigarros, bebidas alcoólicas e alimentos com adição de açúcar como potenciais alvos.

Braskem avançava 7,26%, na sexta alta seguida, ampliando os ganhos de janeiro para cerca de 28%, após terminar 2019 com declínio de 35%. A recuperação coincide com o acordo assinado entre a petroquímica e autoridades em Alagoas, que, entre outros pontos, garantiu a restituição de 2 bilhões de reais ao caixa da companhia.

De acordo com o colunista Lauro Jardim, de O Globo, a petrolífera Sonangol, também de Angola, pagará 1 bilhão de dólares pela fatia de 25% da Oi na Unitel.

Este artigo foi resumido em 68%

Originalmente Publicado: 23 de Janeiro de 2020 às 19:31

Fonte: Moneytimes.com.br