Estar frente da pasta de Segurança Pública foi uma das condições do ministro Sergio Moro para ter aceitado compor o governo de Jair Bolsonaro.

Para Moro, manter a agenda de combate corrupção e ao crime organizado uma das prioridades de sua gestão e o ministro deixou claro que não abrirá mão disso.

De acordo com o jornal O Globo, a insatisfação do ex-juiz com a proposta, no entanto, absoluta e pode selar seu destino no governo.

Após o presidente voltar ao tema nessa semana, conforme o veículo carioca, Moro relembrou o fato a aliados.

Este artigo foi resumido em 2%

Originalmente Publicado: 23 de Janeiro de 2020 às 22:20

Fonte: Correio24horas.com.br