A procuradora Thaméa Danelon, que comandou os trabalhos da Lava Jato em São Paulo, pediu para ingressar como assistente de acusação contra Glenn Greenwald e os seis hackeadores.

Eles foram denunciados pelo MPF. O juiz Ricardo Leite decidirá se aceita ou não a denúncia.

Thaméa teve o seu celular hackeado na mesma época que o ministro Sergio Moro teve seu celular invadido, no meio do ano passado.

Este artigo foi resumido em 0%

Originalmente Publicado: 1 de Fevereiro de 2020 às 08:45

Fonte: Oantagonista.com