Assessores do Planalto reconhecem que as duas declarações desastrosas de Paulo Guedes, atacando os servidores públicos e as empregadas domésticas, devem paralisar o andamento da agenda econômica bolsonarista no Congresso edit.

247 - As recentes declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, devem dificultar a tramitação da agenda de Bolsonaro no Congresso Nacional, que tem como alvos exatamente os funcionários públicos, com a reforma administrativa, e as camadas mais pobres da população.

Até assessores do Planalto reconhecerm que as falas do ministro sobre servidores públicos, chamados de ‘parasitas’, e acerca das empregas domésticas podem paralisar a agenda bolsonarista.

“Ele coloca mais tensão sobre temas que não estão pacificados. E ele o principal articulador das reformas. Não positivo”, diz o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga.

“O Congresso uma grande caixa de ressonância, que a voz da população”, continua, em declaração ao UOL. Durante evento em Brasília, nesta quarta-feira, Guedes afirmou: “Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Vamos importar menos, fazer substituição de importações, turismo. [Era] todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para a Disneylândia, uma festa danada”.

Este artigo foi resumido em 0%

Originalmente Publicado: 14 de Fevereiro de 2020 às 11:40

Fonte: Brasil247.com