Ao mesmo tempo, teve, sim, árbitro de vídeo já que a federação decidiu que os clubes bancassem por conta própria o equipamento.

Ao contrário do que ocorria em passado recente, o árbitro tinha acesso a imagens que definiam lances polêmicos e o público na maior parte dos casos, não.

O telão mostrou imagens do VAR em alguns lances, mas nem sempre o público vê com detalhes - confesso, por exemplo, que olhei para o telão e não peguei.

Antes do árbitro de vídeo, os coitados dos juízes ficavam reféns sem imagens enquanto o público todo sabia o que ocorrera.

Na saída do estádio, que no caso da imprensa ocorre em meio da torcida do Fluminense, havia alguns grupos de torcedores comentando que “Parece que foi pênalti”.

A Ferj divulgou os vídeos do VAR de três lances no dia seguinte que indicam que houve acerto nas marcações que anularam os lances do Fluminense.

Mas será que o acompanhamento frame a frame, ou as repetições exaustivas de lances decididos sobre arbitragem fazem bem ao jogo? O Fla-Flu teve uma concentração bem maior nos outros aspectos do jogo, que foi bom, do que na atuação do juiz.

Este artigo foi resumido em 66%

Originalmente Publicado: 14 de Fevereiro de 2020 às 05:00

Fonte: Uol.com.br