Horas antes de entrar em campo para enfrentar o Fluminense no Maracanã, o atacante Pedro, agora jogador do Flamengo, entrou na Justiça contra seu ex-clube, com uma cobrança no valor de R$ 2.240.257,08.

Dentre as cobranças da ação estão o pagamento de 13º salário proporcional de 2019, de férias do período 2018/2019, de sete meses de FGTS, de verbas rescisórias, de bichos, de despesas médicas, de dano moral pela lesão sofrida e de honorários advocatícios.

Pedro deixa gramado do Mineirão de maca após se machucar em jogo contra o Cruzeiro - Foto: FERNANDO MICHEL/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO. Na petição, os advogados defendem também que o atacante tinha direito a um reajuste salarial de 25% nos meses de junho, julho e agosto de 2019 em razão da convocação para a seleção brasileira pré-olímpica, o que reflete no recálculo de diversas outras cobranças - na época, a remuneração do atleta era de R$ 135 mil.

A petição alega também que o Fluminense não vem cumprindo as determinações do Ato Trabalhista e cobra a exclusão do Tricolor do programa, que visa organizar pagamentos de ações trabalhistas contra os clubes para evitar penhoras e bloqueios de créditos.

Pedro foi revelado pelo Fluminense após passagens pelo futsal do Flamengo e pelas categorias de base de Bangu e Artsul.

Aplicação do reajuste salarial de 25% nos meses de junho, julho e agosto de 2019 e diferenças: R$ 101.250,00; além de reflexo nas férias 2018/2019 e no 13º proporcional de 2019.Reflexo do reajuste salarial de 25% no FGTS: R$8.100,00;.

Juros e correção monetária com base no índice IPCA-E;.Honorários de sucumbência no percentual de 15% a favor do patrono do autor: R$292.

Este artigo foi resumido em 59%

Originalmente Publicado: 13 de Fevereiro de 2020 às 21:42

Fonte: Globo