Presidente, Alberto Fernandez, anunciou projeto de legalização do aborto durante 138ª sessão legislativa no di - Foto: Agustin Marcarian/Reuters.

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou neste domingo que enviará ao Congresso um novo projeto para legalizar o aborto, iniciativa que, em 2018, foi rejeitada pelo Senado durante o governo de Mauricio Macri.

“Dentro de dez dias, apresentarei um projeto para a interrupção legal da gravidez”, disse ele perante a assembleia de deputados e senadores, na inauguração do ano legislativo, uma medida que recebeu aplausos efusivos no recinto, além de uma ovação de milhares de manifestantes em frente ao Congresso.

Fernández, um peronista de centro-esquerda, disse que “o aborto acontece, um fato”, ao qual as mulheres recorrem “Em absoluto sigilo”.

O chefe de Estado afirmou que foi demonstrado que “a lei que rege desde 1921 não eficaz”.

E apontou que, segundo seu projeto, o aborto será autorizado “No momento inicial” da gravidez, sem especificar esse período.

Em junho de 2018, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto para a legalização do aborto até a 14ª semana de gestação, mas depois o texto foi rejeitado no Senado.

Este artigo foi resumido em 31%

Originalmente Publicado: 1 de Março de 2020 às 18:12

Fonte: Globo