Para chegar cifra de R$ 410 bilhões, a equipe da Saúde projeta, por exemplo, o custo de R$ 9,31 bilhões para internações, caso 10% da população seja contaminada.

O orçamento do Ministério da Saúde previsto para todas as ações da pasta neste ano de cerca de R$ 125,5 bilhões.

Mesmo integrando grupo de risco, por ter mais de 60 anos, Bolsonaro já afirmou que não teria problemas com a doença pelo seu “Histórico de atleta” e disse que “Depois da facada, não vai ser uma gripezinha” que o derrubaria.

“Antes de adotar o ‘fecha tudo’, existe a possibilidade de fazer redução de mobilidade urbana, existe uma série de medidas que vai se tomando até que se tenha um patamar”, disse o ministro nesta quarta-feira.

Os dados sobre o impacto orçamentário da crise pela covid-19 foram expostos como parte de justificativa para elaborar um projeto com financiamento de US$ 100 milhões do Banco Mundial para compra de testes de diagnóstico, custeio de serviços “Pré-clínicos” e contratação de equipes de saúde para atuarem emergencialmente.

Uma das ideias do governo usar a parceria com o banco para adotar no País serviço de telemedicina para atendimentos de triagem de pacientes com sintomas.

Procurado, o Ministério da Saúde confirmou que pediu um financiamento ao Banco Mundial de US$ 100 milhões para ações de combate ao novo coronavírus, mas não explicou o cálculo para chegar aos R$ 410 bilhões do SUS que a crise pode exigir.

Este artigo foi resumido em 67%

Originalmente Publicado: 26 de Março de 2020 às 05:00

Fonte: Estadao.com.br