E tratou de anunciar que não aceita redução alguma no salário.

Por medo que os clubes não paguem sequer os salários de março e também as férias de abril.

Cenas dos próximos capítulos…. Departamentos jurídicos dos clubes asseguraram que os atletas vão ter de aceitar, ‘na marra’ a redução de 25% nos salários.

Garantem que a CLT data de 1943 e que o artigo foi criado por conta da Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945.

E que a Constituição de 1988 não prevê a aplicação desse artigo nos salários dos trabalhadores.

Conhecedor da maneira com que os clubes lidam com o Profut e todos os acordos que fizeram com o governo federal, não colocará o patrimônio bilionário da CBF em risco.

Diante da rejeição que a maioria dos clubes brasileiros tem de pagar seus impostos e dívidas trabalhistas, políticos oportunistas ofereceram descontos e parcelaram as dívidas como em um crediário de décadas.

Este artigo foi resumido em 78%

Originalmente Publicado: 26 de Março de 2020 às 08:34

Fonte: R7.com