SÃO PAULO - O dólar passava a cair contra o real na manhã desta quinta-feira, apesar de recorde no número de norte-americanos que solicitaram auxílio-desemprego na semana passada, com a onda de incerteza global impulsionando a volatilidade.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos subiram para 3,28 milhões na última semana, superando o recorde anterior de 695 mil estabelecido em 1982, disse o Departamento do Trabalho do país nesta quinta-feira.

A pandemia de coronavírus, que interrompeu repentinamente a atividade nos Estados Unidos, desencadeou uma onda de dispensas que provavelmente acabou com o maior impulso no mercado de trabalho da história norte-americana.

O dólar futuro de maior liquidez era negociado em baixa de 0,59%, a 5,0075 reais.

“Mas temos muita volatilidade, que vai continuar muito elevada por basante tempo”, afirmou.

O Senado dos Estados Unidos já aprovou por unanimidade um projeto de lei de 2 trilhões de dólares para ajudar trabalhadores desempregados e indústrias afetadas pela pandemia.

No cenário doméstico, em seu Relatório Trimestral de Inflação, o BC cortou sua projeção para o Produto Interno Bruto do Brasil a zero em 2020, ante crescimento de 2,2% calculado em dezembro, destacando que a estabilidade agora vista está associada a impactos econômicos “Expressivos” decorrentes da pandemia de coronavírus.

Este artigo foi resumido em 40%

Originalmente Publicado: 26 de Março de 2020 às 10:50

Fonte: Investing.com