O Departamento de Justiça dos EUA apresentou acusações criminais contra o presidente Nicolás Maduro e outras autoridades venezuelanas nesta quinta-feira relacionadas a envolvimento com narcotráfico.

O Departamento de Estado americano ofereceu uma recompensa de US$ 15 milhões por informações que levem captura do líder chavista.

Eles são acusados de “Terem participado de uma associação criminosa que envolve uma organização terrorista extremamente violenta, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, e de um esforço para inundar os Estados Unidos com cocaína”, afirmou o procurador-geral americano William Barr.

A acusação uma ação rara dos EUA contra um chefe de Estado e marca uma grave escalada contra Maduro por Washington, num momento em que algumas autoridades americanas apontam que o presidente Donald Trump está cada vez mais frustrado com os resultados de sua política na Venezuela.

“Há uma conspiração dos Estados Unidos e da Colômbia e eles deram a ordem de encher a Venezuela de violência”, disse no Twitter.

As autoridades americanas acusam Maduro e seus associados há muito tempo de administrar um “Estado de narcotráfico”, dizendo que usaram recursos do tráfico de drogas para compensar a perda de receita do setor petrolífero, sancionado pelos Estados Unidos.

A acusação contra Maduro e outras autoridades alega que eles conspiram com o grupo guerrilheiro colombiano Farc para enviar grandes quantidades de cocaína para os Estados Unidos e outros países.

Este artigo foi resumido em 26%

Originalmente Publicado: 26 de Março de 2020 às 12:22

Fonte: Globo