O prefeito Alexandre Kalil anunciou nesta segunda-feira, em entrevista ao MG1, que vai distribuir cestas básicas a famílias carentes e que pode endurecer regras para quem não cumprir isolamento social.

De acordo com o prefeito, serão destinados mais de R$ 20 milhões em cestas básicas para moradores de vilas e favelas.

Ele disse que já está em conversa com a Procuradoria Geral do Município para saber que providências serão tomadas para tornar mais rígidas regras de isolamento social.

“Acionamos a Procuradoria Geral do Município, uma desobediência de uma pandemia crime e vamos enquadrá-los como criminosos, já estamos fazendo estudo. Isso péssimo. O pessoal não está entendendo, agora já houve mutação do vírus, o vírus já está matando gente com 26, 30, 40 anos. Esse jovem que vai sair, e 80% deles vão entrar e sair do CTI com vida, ele está matando homem de 60 anos, isso de uma cretinice, de um egoísmo”, afirmou.

“Fomos mais duros ainda hoje. Colocamos a guarda municipal hoje para verificar que decreto da PBH e governo sejam cumpridos”, falou.

Questionado se há falta de máscaras e álcool gel em hospitais e unidades de saúde de Belo Horizonte, o prefeito rebateu e disse que a maioria dos hospitais da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais, sendo apenas dois da prefeitura, o Odilon Behrens e o Metropolitano do Barreiro.

Kalil anuncia cestas básicas a moradores de favelas e avalia endurecimento de regras para isolamento - Foto: Reprodução / TV Globo.

Este artigo foi resumido em 43%

Originalmente Publicado: 30 de Março de 2020 às 13:11

Fonte: Globo