O buraco na camada de ozônio antes de se fechar - Foto: CAMS. O maior buraco na camada de ozônio já detectado sobre o Polo Norte se fechou, quase um mês após sua descoberta.

Mas, em 23 de abril, houve boas notícias: “O buraco sem precedentes na camada de ozônio do hemisfério norte em 2020 chegou ao fim”, tuitou a CAMS. Por que o ozônio importante.

Embora tenha havido pequenas lacunas na camada de ozônio sobre o Ártico antes, esta foi a “Primeira vez que se viu um verdadeiro buraco na camada de ozônio no Ártico”, de acordo com o CAMS. Como o buraco apareceu e desapareceu?

Buracos na camada de ozônio no Polo Norte são raros - Foto: Getty via BBC. A organização disse que o buraco de rápido crescimento foi resultado de condições climáticas incomuns no Ártico.

“Esse buraco no ozônio foi basicamente um sintoma do maior problema de depleção do ozônio e foi fechado por causa dos ciclos anuais locais, e não pela cura a longo prazo. Mas há esperança: a camada de ozônio também está se recuperando, mas lentamente”, acrescentou.

Um buraco sobre o Polo Norte um evento raro, mas há um buraco muito maior reabrindo anualmente na Antártica pelos últimos 35 anos.

De acordo com a Organização Meteorológica Mundial, o buraco na camada de ozônio na Antártica encolhe entre 1% e 3% por década desde 2000.

Este artigo foi resumido em 61%

Originalmente Publicado: 1 de Maio de 2020 às 18:00

Fonte: Globo