Mais do que problemas respiratórios causados pela COVID-19, pesquisadores identificam cada vez mais sintomas em pacientes infectados pelo novo coronavírus, como a perda de olfato e de paladar, riscos de derrame e até possível infecção dos neurônios.

Esse tipo de lesão foi detectado em 19% dos casos, em pacientes mais jovens, nos estágios finais do processo da COVID-19.

Na pesquisa, esse tipo de manifestação está associado gravidade intermediária e mais frequente em pacientes de meia-idade.

Essa manifestação foi observada em pacientes mais graves e apareceu, com mais frequência, junto aos outros sintomas relacionados COVID-19.

Essas marcas duram de 8 a 9 dias em média e também estavam presentes em pacientes mais graves.

Livedo-reticularis ou necrose por obstrução vascular: foi encontrado em 6% dos casos e está associada aos pacientes mais velhos e mais graves.

“Observamos um gradiente de doença, de menos grave nos casos em que havia pseudo-geladuras, a mais grave em pacientes com lesões livedo-reticularis, que apresentavam mais casos de pneumonia, internações hospitalares e necessidade de atendimento em UTI”, explica Ignacio García Doval, que diretor da Unidade de Pesquisa da AEDV, para o El País.

Este artigo foi resumido em 66%

Originalmente Publicado: 4 de Maio de 2020 às 23:36

Fonte: Canaltech.com.br