Na volta do feriado do Dia do Trabalho, o Ibovespa passou por um dia de ajuste, em linha com as quedas vistas no exterior desde sexta-feira devido o aumento das tensões entre Estados Unidos e China.

No pior momento, o Ibovespa atingiu a mínima de 77.640 pontos, uma baixa de 3,56%. Ao longo do pregão, as perdas foram amenizadas e o índice fechou aos 78.876 pontos, após ajustes, uma baixa de 2,02%. Do exterior, o tom negativo veio com as tensões entre Estados Unidos e China em relação pandemia da covid-19, o que eleva os receios em torno de uma nova disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo.

Donald Trump mencionou que a China pode ter cometido um erro e não quis admitir e também mencionou que poderia impor tarifas contra o país, segundo a mídia americana.

Os embates entre o Executivo, Legislativo e Judiciário têm gerado volatilidade no Ibovespa desde o fim de abril, a medida que eleva os receios em torno da aprovação de medidas importantes para retomada da economia após a pandemia ou sequência da agenda de reformas.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse hoje, inclusive, que a participação de Bolsonaro nas manifestações não recomendável do ponto de vista de saúde pública e estimula um ambiente de conflitos, que ruim para a economia.

A pandemia tem atingido em cheio o setor aéreo, que foi o principal destaque de baixa nesta sessão.

No noticiário do setor, o investidor Warren Buffett disse que a Berkshire Hathaway vendeu toda a posição que detinha em aéreas pelo mundo e a Gol divulgou prejuízo não auditado de R$ 2,29 bilhões no primeiro trimestre.

Este artigo foi resumido em 30%

Originalmente Publicado: 4 de Maio de 2020 às 18:37

Fonte: Globo