BRASÍLIA - O Sistema Brasileiro de Inteligência, coordenado pela Agência Brasileira de Inteligência, recebeu um total de 1.272 relatórios de inteligência produzidos por diversos órgãos do governo nos anos de 2019 e 2020.

Quem define esse encaminhamento a Abin, que atualmente comandada pelo delegado Alexandre Ramagem, pessoa de confiança de Bolsonaro que ele tentou indicar para comandar a PF, mas foi barrado por uma decisão do Supremo Tribunal Federal.

Na última terça-feira, o ex-diretor de Inteligência da PF Cláudio Ferreira Gomes afirmou em depoimento aos investigadores do inquérito sobre as supostas interferências de Bolsonaro que o número de documentos de inteligência produzidos pela Polícia Federal no ano de 2019 foi “Superior aos anos anteriores”.

No vídeo da reunião do último dia 22 de abril, divulgado ontem pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello, Bolsonaro reclama por diversas vezes da falta de informações de inteligência, diz que a PF e Abin não o deixavam informado.

O que meu serviço de informações particular? o sargento do batalhão do Bope do Rio de Janeiro, o capitão do grupo de artilharia lá de Fortaleza, o policial civil que tá em Manaus, meu amigo que tá na reserva e me traz informação da fronteira.

Um belo dia o Carlos Bolsonaro aparece com um nome de um delegado federal e três agentes que seriam uma Abin paralela.

Segundo o colunista, Maia recebeu relatos de parlamentares com temor de que estavam sendo monitorados e grampeados pelo governo.

Este artigo foi resumido em 74%

Originalmente Publicado: 23 de Maio de 2020 às 15:27

Fonte: Globo