BRASÍLIA - O Ministério da Economia divulgou nesta sexta-feira que as medidas anunciadas de combate ao coronavírus já chegam a R$ 417,7 bilhões em gastos do governo ou renúncia de receitas ao longo de 2020.

Na conta divulgada, estão R$ 399,5 bilhões em gastos ao longo de 2020 e R$ 18,2 bilhões em receitas que o governo abriu mão.

E mais R$ 34 bilhões de um programa de financiamento da folha de pagamento de pequenas empresas.

Os gastos que o Brasil está tomando, além da queda de receitas causada pela crise econômica, devem fazer o país atingir neste ano um rombo de R$ 700 bilhões nas contas públicas, o equivalente a 9,9% do PIB. O Ministério da Economia também estimou que, com um tombo de 4,7% no PIB deste ano, previsto pelo mercado financeiro na semana passada e divulgado pelo Banco Central na última segunda-feira, a dívida bruta do setor público avançaria para 93,5% do PIB no fim deste ano.

Como o país está em estado de calamidade pública aprovada pelo Congresso, o governo federal não precisará cumprir a meta fiscal deste ano, de déficit de R$ 124 bilhões.

Sem essa flexibilização, a equipe econômica teria que promover um bloqueio de R$ 416 bilhões na verba de ministérios a partir do próximo mês, o que inviabilizaria o funcionamento da máquina pública.

Pela conta atual, o governo precisará cortar gastos no valor de R$ 2 bilhões para não descumprir a norma que limita gastos públicos variação da inflação.

Este artigo foi resumido em 52%

Originalmente Publicado: 23 de Maio de 2020 às 01:52

Fonte: Globo