BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sugeriu que o governo deveria aproveitar a atenção da imprensa na pandemia do novo coronavírus para aprovar “Reformas infralegais de desregulmentação e simplificação” na área do meio ambiente e “Ir passando a boiada”.

Salles afirmou que o governo tinha a “Oportunidade” de passar reformas infralegais, enquanto a imprensa estava dando “Um pouco de alívio nos outros temas”, já que estava focada na cobertura da pandemia.

O ministro do Meio Ambiente diz ainda que seria difícil conseguir o apoio do Congresso Nacional para aprovar as mudanças neste momento, mas que muitas das reformas não precisariam do aval dos parlamentares.

Salles afirmou ainda que era necessário deixar o advogado-geral da União, na época André Luiz de Almeida Mendonça, de prontidão, para eventuais contestações de atos do governo na Justiça.

“Então pra isso nós temos que tá com a artilharia da AGU preparada pra cada linha que a gente avança ter uma coi … mas tem uma lista enorme, em todos os ministérios que têm papel regulatório aqui, pra simplificar”, afirmou.

A organização Greenpeace Brasil afirmou que Salles usa a morte das vítimas da pandemia “Para passar violentamente essa política de destruição”.

“Salles acredita que as pessoas morrendo na fila dos hospitais seja uma boa oportunidade de avançar em seu projeto antiambiental. Acredita que a ausência dos holofotes da mídia, devidamente direcionados para a pandemia, seria o suficiente para fazer o que bem entende”, lamentou, em nota, a porta-voz de Políticas Públicas do Greenpeace Brasil, Luiza Lima.

Este artigo foi resumido em 63%

Originalmente Publicado: 22 de Maio de 2020 às 17:35

Fonte: Globo