Se o dividend yield assim obtido for maior que a taxa básica de juros, então mesmo sem vender o papel o investidor já conseguiu um rendimento maior que o da renda fixa.

PUBLICIDADE. Vale lembrar, contudo, que ações são mais arriscadas que a renda fixa e a flutuação do preço de alguns ativos pode acabar fazendo o investidor incorrer em perdas apesar dos dividendos distribuídos ao longo do ano.

Ela ressalta que, além da perda de rentabilidade da renda fixa, que acaba atraindo naturalmente investimentos para o mercado de ações, as empresas que possuem papéis listados na B3 também se beneficiam do efeito econômico da redução da Selic, que reduzir o custo de capital.

“Apesar disso, acreditamos que, assim como no exercício de 2019, no qual a empresa reduziu a distribuição de proventos de inicialmente 100% para 56%, o mesmo pode ocorrer novamente ao longo de 2020, dadas as previsões de desembolso de caixa de R$ 2,7 bilhões em vencimentos de dívidas em 2020, R$ 2,46 bilhões em investimentos previstos para o 2020, em comparação com nossa estimativa de Ebitda para 2020 de R$ 5,76 bilhões”.

PUBLICIDADE. Entre as construtoras, a Cyrela possui uma robusta geração de caixa ao mesmo tempo em que reduz seu patrimônio líquido, o que deve resultar em grandes distribuições de dividendos daqui para frente.

“Tendo em vista a situação confortável de alavancagem da Cesp, a situação confortável de caixa de R$950 milhões e a existência de reserva de lucros, acreditamos que a companhia deve continuar a distribuir pelo menos o dividendo mínimo de R$1,85/ação, o que implica um dividend yield de 6,6%”, aponta.

“Lembrando que o dividend yield de 2020 prejudicado pela Resolução 4.797, que veda o pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio acima do mínimo requerido de 25% ou do requerido pelo estatuto do banco em 2020”, pondera.

Este artigo foi resumido em 76%

Originalmente Publicado: 18 de Junho de 2020 às 18:46

Fonte: InfoMoney