O fenômeno recebe esse nome porque, associado ao ciclone, há uma queda rápida de pressão atmosférica, o que causa ventos intensos, segundo o professor Ernani de Lima Nascimento, do curso de Meteorologia da Universidade Federal de Santa Maria.

Em Siderópolis, foi registrada queda de árvore e, no município de Treviso, uma idosa que estava sozinha em casa pediu apoio aos bombeiros porque o vento estava derrubando árvores em um sítio.

Segundo o professor Ernani de Lima Nascimento, do curso de Meteorologia da Universidade Federal de Santa Maria, o que ocorreu durante esta terça-feira em Santa Catarina foi uma combinação de dois fatores, que geraram vento intenso.

“Desde o início do dia houve relatos de ventos intensos em Santa Catarina, e somado formação do ciclone houve o desenvolvimento do que se chama de uma linha de instabilidade, que como se fosse várias tempestades se alinhando. Estas tempestades geraram rajadas de vento localmente mais fortes”.

“Podemos atribuir a maior parte dos danos a essa linha de instabilidade e o ciclone o contexto maior em que essa linha se formou. Porque temos na atmosfera os fenômenos em diferentes escalas. Então, na escala maior o ciclone, que está ganhando força”, disse.

“Não um fenômeno extraordinário, ele ocorre várias vezes durante o ano e comum no inverno, só que esse foi mais intenso e por isso satisfaz esse apelido de ciclone bomba. A formação desse ciclone gerou as condições numa escala maior favoráveis a formar ventos intensos e dentro desse ambiente gerou essa linha de instabilidades, essa linha de tempestades, que varreu o estado de Oeste pra Leste, e essas tempestades são capazes de gerar vento ainda mais intenso, capaz de produzir danos como quedas de árvores e postes”, conclui.

“Enquanto o ciclone se desloca para o mar o vento acalma. Porém, formado no mar pela sua forte intensidade e proximidade da costa irá trazer fortes rajadas de vento no Sul, Serra, Litoral, Vale do Itajaí e Norte. Rajadas de 70 a 90 km/h ainda são esperadas”, afirma.

Este artigo foi resumido em 80%

Originalmente Publicado: 30 de Junho de 2020 às 17:10

Fonte: Globo