Este 30 de junho o último dia vigente do acordo entre Flamengo e o Banco BS2. A parceria foi encurtada após a empresa, além dos contratempos devido pandemia do novo coronavírus, ficar ciente de que o clube negociava com outras empresas para o espaço master do uniforme.

Nos últimos meses, o Flamengo flertou com a Amazon e outras empresas, mas o substituto do BS2 foi de mesmo segmento: o Banco de Brasília.

A parceria com o Flamengo, time com marca de força global, vai permitir ao BRB diversificar seus negócios, expandir sua base de clientes e ampliar a atuação nacional tanto na forma de presença física quanto digital - afirmou Paulo Henrique Costa, presidente do Banco de Brasília, logo após a parceria ter sido sacramentada.

Anualmente, o Flamengo receberá R$ 32 milhões, valor que poderá ser potencializado pelas ações de marketing em conjunto com o banco estatal.

O acordo ainda estabelece uma divisão de lucros igualitária entre o Banco de Brasília e o Flamengo: 50% para cada.

Saiba mais sobre a parceria com o BRB aquiCOLETIVA DE APRESENTAÇÃO E ESTREIA. Através de sua assessoria de imprensa, o Flamengo informou que, a fim de impulsionar este novo cenário, realizará um evento na Gávea, nesta quarta-feira, para a apresentação oficial da parceria com o Banco de Brasília.

Adequado às atuais normas de segurança no combate ao novo coronavírus, o Flamengo promoverá entrevista com dirigentes do clube e representantes do banco estatal de forma remota, com perguntas de jornalistas a serem enviadas virtualmente, por exemplo - para evitar aglomeração.

Este artigo foi resumido em 45%

Originalmente Publicado: 30 de Junho de 2020 às 07:07

Fonte: Lance.com.br