Turistas passam pelo Coliseu, em Roma, no dia 22 de junho de 2020 - Foto: Vincenzo Pinto / AFP. Os países da União Europeia aprovaram nesta terça-feira a reabertura das fronteiras a partir de 1º de julho aos turistas de 15 países -moradores do Brasil, Estados Unidos, Turquia e Rússia, por enquanto, têm o acesso proibido.

A lista dos autorizados, que será revisada a cada duas semanas, inclui Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai, além da China, mas o gigante asiático, sob critérios de reciprocidade, informou o Conselho da UE em um comunicado.

Os países de residência dos turistas, e não a sua nacionalidade, será o fator chave para determinar se eles poderão entrar ou não na União Europeia, de acordo com as autoridades.

Os 27 países que compõem o bloco não são obrigados legalmente a adotar a resolução, mas se não fizerem isso, correm risco de ter as suas fronteiras com outros países da Europa fechada -portanto, dificilmente algum país terá uma política diferente.

A lista precisava de uma maioria qualificada de países europeus para ser aprovada -ou seja, 15 países que representassem 65% da população.

Os países membros podem restringir a entrada de pessoas das 15 nações que foram liberadas.

Os esforços da UE para reabrir as fronteiras internas, especialmente entre os 26 países da área Schengen, que geralmente não têm nenhum controle, tem sido desigual.

Este artigo foi resumido em 55%

Originalmente Publicado: 30 de Junho de 2020 às 11:05

Fonte: Globo