Ao desembarcar do avião presidencial em Bagé, o presidente encontrou apoiadores e causou aglomerações, ignorando as recomendações de distanciamento social pela pandemia do novo coronavírus e aproveitando para mostrar uma caixa do medicamento cloroquina a dezenas de pessoas que o aguardavam.

O presidente interagiu com os apoiadores ao deixar o avião e depois seguiu para a inauguração de uma escola cívico-militar, onde novamente causou aglomerações.

Uma equipe da Vigilância em Saúde e de profissionais de saúde foi deslocada para o local para cobrar a obrigatoriedade, prevista em decreto municipal, do uso da máscara.

Ele diz que utilizou o remédio no tratamento da doença causada pelo coronavírus e que a prescrição o ajudou a se curar, mesmo ainda não havendo comprovação científica da eficácia contra a covid-19.

O plano, concebido junto aos generais que formam o alto escalão, realizar mais deslocamentos durante o segundo semestre, sobretudo em cidades nas quais o governo não tem boa avaliação de acordo com as pesquisas de opinião.

Durante o período em que ele ficou recluso no Alvorada, o presidente manteve conversas com ministros e aliados para afinar as estratégias e debater a possibilidade de novos destinos.

Hoje, em Bagé, o presidente ressaltou que “não para deixar obra parada” e que “Pelo menos uma vez por semana” sairá de Brasília para viajar.

Este artigo foi resumido em 66%

Originalmente Publicado: 31 de Julho de 2020 às 17:28

Fonte: Uol.com.br