Apesar de as infecções pelo novo coronavírus voltarem a aumentar na Alemanha, elevando os temores de uma segunda onda da doença no país, milhares de pessoas se reuniram em Berlim neste sábado para protestar contra as restrições impostas pelo governo.

Poucas máscaras forma vistas em meio aos grupos que caminhavam do portão de Brandemburgo até o parque Tiergarten.

Pelo Twitter, a polícia de Berlim afirmou que abriu processos legais contra os organizadores do protesto, em razão da “Desobediência às regras de higiene”.

Ela contou ter sido hostilizada por manifestantes, com ataques e abusos verbais, inclusive de um homem que gritou próximo a seu rosto, afirmando que o bilionário Bill Gates estaria por trás do coronavírus e o governo alemão o ajudaria fazer com que as pessoas sejam forçadas a receber a vacina.

O ministro da Economia, Peter Altmaier, disse que o país deve adotar medidas mais rígidas contra as pessoas que violarem as regras para conter a disseminação do coronavírus.

“Qualquer um que deliberadamente colocar os outros em risco deve contar com sérias consequências para si”, afirmou.

Temendo surtos no país na volta das férias, o governo alemão anunciou na segunda-feira que pretende tornar obrigatório o teste do novo coronavírus para viajantes que retornem ao país vindos de territórios considerados de risco, como o Brasil ou os Estados Unidos.

Este artigo foi resumido em 70%

Originalmente Publicado: 1 de Agosto de 2020 às 14:13

Fonte: Globo