O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou neste sábado que vai proibir o aplicativo de compartilhamento de vídeos TikTok.

As autoridades de segurança dos Estados Unidos expressaram preocupação de que o aplicativo, de propriedade da empresa chinesa ByteDance, possa ser usado para coletar dados pessoais de americanos para compartilhá-los com o governo chinês.

Após a sinalização de Trump, a gerente-geral da TikTok nos Estados Unidos, Vanessa Pappas, afirmou que o aplicativo está “Aqui por um longo prazo”.

O aplicativo exibe tanto os vídeos dos perfis que o usuário segue e, com mais destaque, o conteúdo que o aplicativo escolhe com base no que ele assistiu antes.

A Austrália, que já proibiu a companhia de tecnologia chinesa Huawei e a fabricante de equipamentos de telecomunicações ZTE, também está considerando proibir o TikTok.

Os olhares de Trump estão fixos na China - e por meio desse cenário que se deve enxergar a situação do TikTok no país.

Mas, de muitas maneiras, não importa o que o aplicativo diga, o fato de ele pertencer empresa de um chinês já suficiente.

Este artigo foi resumido em 86%

Originalmente Publicado: 1 de Agosto de 2020 às 19:11

Fonte: Globo