O Jornal Nacional teve acesso ao vídeo do depoimento do senador Flavio Bolsonaro no inquérito que investiga o suposto vazamento da operação da Polícia Federal que atingiu Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador.

Ele disse que o vazamento partiu de um delegado da PF, que teria adiantado que a operação atingiria pessoas ligadas a Flavio.

Em seguida, Flavio Bolsonaro confirmou que pediu uma reunião com Paulo Marinho no dia 13 de dezembro de 2018 na casa do empresário, no Rio.

Flavio negou a suspeita de que recebeu informações vazadas da PF. O procurador lembrou que Paulo Marinho disse que soube do vazamento pelo amigo de Flavio, Victor Granado.

O procurador perguntou se Flavio esteve na sede da PF no Rio no período em que Paulo Marinho alega ter havido vazamento.

O foco da investigação desvendar o que de fato aconteceu naquela reunião de dezembro de 2018 e se há novos indícios do suposto vazamento da Operação Furna da Onça.

Segundo Paulo Marinho, foi depois desse vazamento que Queiroz foi demitido do gabinete de Flavio Bolsonaro e a filha do ex-assessor Natalia Queiroz, do gabinete do então deputado federal e presidente eleito Jair Bolsonaro.

Este artigo foi resumido em 71%

Originalmente Publicado: 31 de Julho de 2020 às 21:32

Fonte: Globo