O trio formado por TIM, Vivo e Claro deve assumir a liderança na corrida pela aquisição da rede móvel Oi na próxima semana, caso não seja renovado o direito de exclusividade nas negociações assinado dias atrás entre a Oi e a Highline do Brasil e que na segunda-feira, 3.

Deve perder o direito de exclusividade, que passará para TIM, Vivo e Claro.

A Oi avalia suas redes de telefonia e internet móveis, que reúnem 33,9 milhões de clientes, em ao menos R$ 15 bilhões.

A primeira oferta partiu de TIM, Vivo e Claro em meados de julho.

Na sequência, a Highline - empresa especializada em infraestrutura de telecomunicações e controlada pela americana Digital Colony - colocou na mesa um valor não revelado, mas superior a esse lance.

Já nos bastidores, não descarta nenhum proponente, e o comentário de que o lance da Highline “Bom o bastante” para vingar.

O plano da Oi prevê que a direção poderá aceitar a segunda melhor proposta, desde que com preço até 5% inferior àquele apresentado na proposta de maior valor, mediante “Justificativa fundamentada”.

Este artigo foi resumido em 55%

Originalmente Publicado: 1 de Agosto de 2020 às 18:53

Fonte: Google News