A bancada evangélica no Congresso deve se reunir nesta quarta-feira com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto.

No encontro, a bancada evangélica deve tratar de possíveis soluções para o tema - seja restabelecendo o projeto original ou aprovando uma proposta de emenda Constituição sobre o assunto.

Em nota após o encontro, no entanto, a frente parlamentar anunciou que deve “Dedicar mais tempo análise das consequências envolvidas no tema” e recorrer “Ao apoio de juristas e outras autoridades que possam contribuir para um posicionamento mais abalizado quanto às medidas a serem adotadas pelos parlamentares da bancada”.

Na postagem publicada após o veto, Bolsonaro disse que foi obrigado a retirar o perdão das dívidas do texto sancionado para não ferir regras orçamentárias.

Segundo o presidente, ao contrário dele, os parlamentares não teriam que se preocupar com as implicações jurídicas e orçamentárias de seus votos.

Sem dar detalhes, Bolsonaro disse que deve encaminhar ao Congresso ainda nesta semana uma proposta de Emenda Constituição com “Uma possível solução para estabelecer o alcance adequado para a imunidade das igrejas nas questões tributárias”.

Em material divulgado na noite deste domingo, o governo afirma que o presidente Jair Bolsonaro “Se mostra favorável não tributação de templos de qualquer religião”.

Este artigo foi resumido em 64%

Originalmente Publicado: 15 de Setembro de 2020 às 20:08

Fonte: Globo