Oito países europeus enviaram na terça-feira uma carta ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, em que dizem que o aumento do desmatamento dificulta a compra de produtos brasileiros por consumidores do continente.

O grupo de países diz que ações tomadas pelo Brasil no passado como o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desflorestamento na Amazônia Legal, o Código Florestal Brasileiro e a Moratória da Soja na Amazônia são reconhecidos pelo efeito que tiveram na redução do desmatamento.

Segundo o grupo, o aumento do desmatamento confirma a importância fundamental de garantir que os órgãos de fiscalização tenham capacidade para monitorar o desmatamento e aplicar as leis.

“A decisão que o Itamaraty vai conversar com o embaixador Alemão. Na carta, eles colocam os representantes deles disposição para o diálogo, daí nós estamos planejando aquela viagem, que já falei para vocês a Amazônia, vai ser feita no final de outubro. Então, isso que debatemos ali”, afirmou o vice-presidente.

O vice-presidente disse que o governo trabalha para apresentar ao mundo a complexidade da Amazônia e que adota medidas de combate ao desmatamento ilegal e as queimadas, como a Operação Verde Brasil 2, executada pelas Forças Armadas.

“Nossa procura pelo apoio dos investidores privados, que tanto pressionam, colocam o país muitas vezes em uma situação de vilão ambiental, que nós em absoluto somos. Essa hora que buscamos apoio desses grupos de modo que consigamos financiar essas ações”, disse.

Mourão ainda declarou que a União Europeia um parceiro importante na área ambiental e que o acordo verde europeu “Pode vir a se somar de maneira positiva aos vários projetos que já temos com países do bloco na área de sustentabilidade”.

Este artigo foi resumido em 65%

Originalmente Publicado: 16 de Setembro de 2020 às 11:50

Fonte: Globo