Centenas de mulheres e apoiadores se reuniram em Washington e em outras cidades dos Estados Unidos, neste sábado, para protestar contra a nomeação de Amy Barrett, uma juíza considera conservadora, para a Suprema Corte.

Barret foi indicada pelo presidente Donald Trump para preencher a vaga da juíza Ruth Bader Ginsburg, que morreu há menos de um mês e era líder da ala liberal.

Manifestantes pedem que o Senado suspenda o processo de confirmação de Barrett.

Os republicanos querem confirmar Barrett antes da eleição presidencial do dia 3 de novembro.

Casada e mãe de sete filhos, Barrett católica e tende a ter visão conservadora em temas como a legalização do aborto - prática permitida nos EUA por uma decisão da Suprema Corte de 1973 que legalmente questionada com frequência no país.

Em 2013, a jurista disse que a vida “Começa com a concepção”.

A provável nova juíza também está alinhada com posições de Trump em relação ao uso de armas e imigração, segundo a BBC. Marcha de mulheres em Washington contra a indicada por Trump Suprema Corte.

Este artigo foi resumido em 14%

Originalmente Publicado: 17 de Outubro de 2020 às 16:15

Fonte: Globo