A Armênia e o Azerbaijão se acusaram neste domingo de violar o novo cessar-fogo humanitário no território de Nagorno-Karabakh.

Por sua vez, o Ministério da Defesa do Azerbaijão acusou a Armênia de efetuar disparos de morteiros e artilharia nas proximidades da cidade de Jabrail, em Nagorno-Karabakh, e em aldeias da região.

A trégua anunciada para se iniciar neste domingo ocorre depois que o chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, manteve conversas telefônicas com seus colegas da Armênia e do Azerbaijão, nas quais, segundo o Ministério das Relações Exteriores da Rússia, ele enfatizou “a necessidade de seguir estritamente” o acordo de cessar-fogo acordado em Moscou no sábado passado.

Vizinha consola mulher que teve a casa destruída durante ataque a Stepanakert, na região de Nagorno-Karabakh, neste sábado - Foto: AP. Horas antes, o governo do Azerbaijão informou que 13 civis foram mortos e mais de 50 ficaram feridos na cidade de Ganja, a segunda maior do país, em um bombardeio atribuído Armênia.

O bombardeio no sábado foi mais um episódio de violência após a escalada de tensão entre os dois países por causa da disputa pelo território de Nagorno-Karabakh, uma região separatista que fica no Azerbaijão, mas de maioria étnica armênia.

Esse movimento deflagrou uma guerra que causou 30 mil mortes e centenas de milhares de refugiados de ambos os lados na década de 1990.

Após quase 30 anos de impasse diplomático, o presidente do Azerbaijão, Ilham Alyev, prometeu retomar o controle deste território, inclusive força, se necessário.

Este artigo foi resumido em 59%

Originalmente Publicado: 18 de Outubro de 2020 às 04:16

Fonte: Globo