A denúncia partiu dos vizinhos, baseados nas imagens do circuito interno de segurança que, na noite do último dia 19, mostram o estudante Mateus da Luz, de 21 anos, despejando uma garrafa de água sobre a cabeça de Maria Stella Vasconcellos da Silva, 76.

Na delegacia, a subsíndica do prédio, onde moram Mateus e Maria Stella, afirmou que esta não a primeira vez que ele causa danos ao patrimônio do condomínio, tampouco não o primeiro caso de agressão contra a avó flagrado pelos moradores.

Segundo o depoimento de um dos moradores do prédio, ao qual O GLOBO teve acesso, Maria Stella teme ficar dentro da própria casa: “Os vizinhos escutam todos os dias a avó apanhar ou sendo maltratada por ele, que ela fica o dia todo na portaria, temendo pela sua integridade física dentro do próprio imóvel. A senhora uma idosa de ótimas condições físicas, mas que aparece com constantes lesões não naturais para seu estado físico e sempre desconversa dizendo que tinha levado uma queda”.

Ainda de acordo com o relato, Mateus agressivo, não trabalha e sustentado pela avó, que não havia denunciado o neto por receio de agressões mais fortes.

Na delegacia, Mateus da Luz confirmou que sustentado por Maria Stella e declarou que “Perdeu a cabeça por causa da situação financeira da família”.

Em relação às lesões aparentes no corpo da vítima, ele confessa que foram provocadas por “Fortes empurrões ao solo e por agarrões”, assumindo também que provoca queimaduras na avó com pontas de cigarro aceso.

Ele também acumula uma série de passagens pela polícia, por crimes que vão de injúria por preconceito a furtos e ameaças.

Este artigo foi resumido em 50%

Originalmente Publicado: 21 de Novembro de 2020 às 15:45

Fonte: Globo