Para fazer qualquer análise sobre a atuação do Palmeiras na derrota por 1 a 0 contra o Goiás, preciso, antes de tudo, levar em conta que o time tinha 21 desfalques.

Abel Ferreira foi obrigado a usar jogadores que praticamente não treinaram com o elenco principal, como o atacante Fabrício.

Pela primeira vez sob o comando de Abel Ferreira, o time atuou com três zagueiros, com Renan pela esquerda, Gómez no meio e Emerson Santos pela direita.

Após a expulsão e as trocas no fim da etapa final, o time teve uma linha de quatro frente da zaga, às vezes até com cinco, e Fabrício sendo o único mais avançado.

Com dois alas e bem posicionada, a equipe conseguiu impedir as investidas pelos lados e os cruzamentos na área, jogada mais perigosa do adversário, sobretudo com Fernandão e Rafael Moura juntos.

O fato de entrar com três zagueiros também deixou o Palmeiras com menos força ofensiva, já que Mayke não apoiou pela esquerda.

Com o Goiás fechado e com apenas Fernandão mais avançado, Abel Ferreira poderia colocar alguém para ajudar com mais qualidade na construção do que um dos zagueiros, que fazem ativamente esse papel.

Este artigo foi resumido em 60%

Originalmente Publicado: 22 de Novembro de 2020 às 05:00

Fonte: Globo