Imagens obtidas pela Folha revelam que Beto Freitas, 40, foi asfixiado por quase quatro minutos, diante de 15 testemunhas, após ser espancado por pelo menos dois minutos por seguranças do Carrefour em Porto Alegre na última quinta.

A gravação mostra que, antes de agredir Giovane, Freitas para por um segundo e olha para o vigia.

Quando Beto Freitas se mexe pela última vez, há em volta dele pelo menos 17 pessoas no local, sendo 15 testemunhas e os dois seguranças que sufocaram Freitas.

Uma das testemunhas a fiscal, Adriana Alves Dutra, que aparece também em um vídeo obtido pela Folha intimidando testemunhas.

Ao homem que filma o sufocamento de Beto Freitas a fiscal diz: “não faz isso [filmar] que eu vou te queimar na loja”.

A funcionária afirma, então, que Freitas “Deu em uma mulher lá em cima”.

Beto Freitas foi velado e sepultado neste sábado no cemitério São João, em Porto Alegre, sob pedidos de justiça e fim do racismo.

Este artigo foi resumido em 47%

Originalmente Publicado: 21 de Novembro de 2020 às 23:59

Fonte: Uol.com.br