O presidente Jair Bolsonaro falou sobre a questão racial no Brasil e disse que há pessoas que tentam dividir o país, importando para o nosso território tensões alheias nossa história.

Em nota, o escritório das Nações Unidas no Brasil disse que o debate sobre a eliminação do racismo e da discriminação racial é, portanto, urgente e necessário, envolvendo todas e todos os agentes da sociedade, inclusive o setor privado.

A ONU Brasil insta as autoridades brasileiras a garantirem a plena e célere investigação do caso e clama por punição adequada dos responsáveis, por reparação integral a familiares da vítima e pela adoção de medidas que previnam que situações semelhantes se repitam.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pediu união contra o racismo: “Junto minha voz a dos que protestam contra a violência que levou morte um homem, brasileiro e negro. Sei que o racismo e o preconceito sobre negros forte em nossa cultura. Cabe a todos lutar contra eles, especialmente aos líderes e aos que conhecem nossa realidade. Basta!”.

O senador Fabiano Contarato, vice-líder da Rede no Senado, afirmou que de vozes negacionistas como Mourão e Bolsonaro que o racismo estrutural vai sendo construído tijolo a tijolo.

A fala também provocou críticas do movimento Black Lives Matter - Vidas Negras Importam, que republicou mensagens de outro grupo internacional que reúne 150 organizações que lutam contra o racismo.

Ao destacar a fala do vice-presidente Mourão, o grupo disse que ela inaceitável, que preciso mudanças que impactem o racismo estrutural.

Este artigo foi resumido em 63%

Originalmente Publicado: 21 de Novembro de 2020 às 22:25

Fonte: Globo