Centenas de manifestantes ocuparam o Congresso da Guatemala neste sábado e incendiaram diversos escritórios até serem expulsos pelas forças de segurança e bombeiros, que apagaram o fogo.

O presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei, lembrou que existe o direito de manifestação no país, mas disse que não permitirá que bens públicos ou privados sejam vandalizados.

“Quem quer tenha sua participação nesses atos criminosas comprovada ficará sob o peso total da lei”, escreveu ele em uma mensagem no Twitter.

Por cerca de 10 minutos, em meio ao caos, os manifestantes conseguiram atear fogo a uma parte do Congresso e também destruir o que encontraram ao seu redor.

A invasão do Congresso ocorreu no meio de uma manifestação acordada para este sábado por artistas, grupos e dezenas de entidades, com o objetivo de rejeitar o orçamento do Estado para 2021, aprovado pela Assembleia da República, dominada por membros do partido de Alejandro Giammattei.

Assim, enquanto centenas de manifestantes assumiam o Congresso, milhares de outros guatemaltecos se manifestavam pacificamente contra Giammattei a apenas um quilômetro de distância em frente ao Palácio Nacional da Cultura.

Na sexta-feira noite, depois que Giammattei endossou o orçamento, seu vice-presidente, Guillermo Castillo, garantiu em entrevista coletiva que o país não está “Bem” e instou Giammattei a renunciar juntos para “Oxigenar” a nação centro-americana.

Este artigo foi resumido em 30%

Originalmente Publicado: 21 de Novembro de 2020 às 22:05

Fonte: EL PAÍS