Os líderes do G20 prometeram neste domingo “não poupar esforços” para garantir um acesso igualitário às vacinas contra a covid-19, segundo um rascunho da declaração final da cúpula, em tom consensual mas com poucas medidas concretas.

“Não pouparemos esforços para garantir seu fornecimento acessível e igualitário para todos”, diz o texto consultado pela AFP. A cúpula das 20 maiores economias do mundo realizada neste ano por vídeoconferência sob a presidência da Arábia Saudita, país muito criticado pelas organizações de defesa dos direitos humanos.

O G20 também irá tratar a dívida dos países pobres, que disparou como resultado da crise econômica provocada pela pandemia.

Os líderes do G20 dizem estar “Comprometidos para implementar” a chamada Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida, “Incluindo sua prorrogação até junho de 2021”, diz o texto.

Mas enquanto as Nações Unidas esperavam que este prazo fosse prorrogado até o final de 2021, o G20 deixa nas mãos de seus ministros das Finanças a “Análise” desta questão para o ano que vem.

Neste sentido, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, cujo país negocia com o Fundo Monetário Internacional a questão da dívida, afirmou no sábado em seu discurso no G20 que o país fez “Um enorme esforço fiscal” e pediu “a ação do mundo e dos organismos internacionais de crédito”.

E no que diz respeito ao comércio, após anos de confrontos entre o governo americano de Trump e a China, mas também com seus sócios europeus, o texto afirma desta vez que “Apoiar o sistema multilateral de comércio agora mais importante do que nunca”.

Este artigo foi resumido em 62%

Originalmente Publicado: 22 de Novembro de 2020 às 11:10

Fonte: Istoe.com.br