A defesa do acusado tem dez dias para se manifestar por escrito.

“A defesa, consubstanciada na resposta acusação deve ser técnica e que sua omissão poderá ensejar o decreto de abandono da causa e o pagamento de multa de 10 a 100 salários mínimos”, registra a decisão.

Além disso, o magistrado determinou que familiares, amigos e pessoas próximas a Paulo não se aproximem das filhas do casal, com idades entre sete e dez anos.

“Encontrei a necessidade de manutenção da medida extrema e, por tal motivo, adotando como forma de decidir os reais e legais fundamentos ali desenvolvidos, os quais torno parte integrante da presente decisão, opto por manter a custódia cautelar prisional dada sua extrema e evidente necessidade”, comunicou o juiz na decisão.

Na ocasião, Viviane foi morta a facadas por Paulo diante das três filhas pequenas dos dois.

No dia 30, o MPRJ denunciou Paulo José Arronenzi por homicídio quintuplamente qualificado.

Segundo a denúncia feita pela 2ª Promotoria de Justiça junto ao III Tribunal do Júri do Rio, o crime - cometido por ele de maneira consciente e voluntária, no entender do MP - pode ser qualificado como feminicídio e foi cometido diante das crianças, por meio cruel, motivo torpe e sem chance de defesa.

Este artigo foi resumido em 41%

Originalmente Publicado: 3 de Janeiro de 2021 às 09:12

Fonte: Uol.com.br