SÃO PAULO - O Ibovespa vira para queda nesta segunda-feira, pressionado pelas ações de bancos, que viraram com força para o lado negativo seguindo o exterior.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 tem queda de dois pontos-base a 2,84%, DI para janeiro de 2023 recua três pontos-base a 4,17%, DI para janeiro de 2025 registra variação negativa de dois pontos-base a 5,63% e DI para janeiro de 2027 cai cinco pontos-base a 6,38%. PUBLICIDADE. Voltando ao exterior, a principal pauta são as revelações de que o presidente americano, Donald Trump, pressionou oficiais por recontagem na Georgia, estado em que perdeu as eleições em 2020.

O consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias estaduais de Saúde no Brasil divulgou, às 20h de domingo, o avanço da pandemia em 24h no país.

Em uma justificativa para vários vetos entre os quais o relativo às vacinas, o governo afirma que esse itens, por não terem ficado passíveis de limitação de empenho, reduziam “o espaço fiscal das despesas discricionárias, além de restringir a eficiência alocativa do Poder Executivo na implementação das políticas públicas”.

Entre outras previsões, a LDO sancionada por Bolsonaro projeta um crescimento real do Produto Interno Bruto de 3,2% neste ano e uma inflação medida pelo IPCA também de 3,2%. A LDO serve para orientar a Lei Orçamentária Anual que ainda precisa, no entanto, ser aprovado pelo Congresso.

Até lá, despesas obrigatórias, como o pagamento de salários de servidores, serão garantidas, mas o governo terá que trabalhar com a liberação de apenas 1/12 dos recursos previstos por mês para despesas discricionárias do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2021.

O Orçamento deve ser de cerca de R$ 1,5 trilhão, porém o Executivo terá liberdade para manejar menos de R$ 100 bilhões, já que a maior parte dos recursos está presa por gastos obrigatórios.

Este artigo foi resumido em 79%

Originalmente Publicado: 4 de Janeiro de 2021 às 11:18

Fonte: InfoMoney