Um dos casos confirmados de uma mulher residente de São Paulo de 25 anos, que teve contato com viajantes que passaram pelo Reino Unido.

Ainda de acordo com o Instituto Adolfo Lutz, que fez a análise das amostras, “As sequências realizadas pelo Lutz foram comparadas e mostraram-se mais completas que a primeira identificada pelo próprio Reino Unido”.

O secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse nesta segunda-feira que os outros dois dos quatro casos suspeitos de contaminação pela nova cepa do coronavírus foram descartados.

No final de dezembro, o laboratório disse trabalhar com o Instituto de Medicina Tropical da USP para gerar material que permita testar a eficiência de alguns tipos de testes do coronavírus.

“Alguns testes de imunologia e de sorologia que só identificam a proteína S podem apresentar resultados falso negativos nos diagnósticos dessa nova variante”, explicou o diretor médico da Dasa, Gustavo Campana.

Em entrevista GloboNews nesta segunda, o secretário também disse que o plano estadual de vacinação no estado de São Paulo segue mantido para o dia 25 de janeiro e que os dados da eficácia da vacina CoronaVac, vacina desenvolvida em parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac, devem ser divulgados até o final desta semana.

“O programa estadual de imunização de SP ocorrerá a partir do dia 25 de janeiro. Estaremos até o final da semana recebendo o valor correto, o percentual de eficácia da vacina, e isso será emitido, enviado para a Agência de Vigilância Sanitária, a Anvisa, que terá um período bastante curto, como eles próprios nos disseram. No máximo em dez dias nós teremos esse resultado e, assim, o programa vai ocorrer. Esperamos que antes disso nós tenhamos um pronunciamento formal do Ministério da Saúde para a aquisição dessas vacinas”.

Este artigo foi resumido em 60%

Originalmente Publicado: 4 de Janeiro de 2021 às 16:09

Fonte: Globo