Após a euforia das ações da NotreDame Intermédica e da Hapvida no pregão da última sexta-feira, que decolaram 26% e 17% na Bolsa, respectivamente, o Safra avalia a eventual fusão entre as companhias como uma boa sinergia que deverá “Destravar valor significativo”, sem mencionar o ambiente mais competitivo do setor de saúde no longo prazo.

Justamente, o banco alerta que boa parte do valor “a ser destravado” já se foi na alta de sexta-feira.

Logo, a equipe do Safra elevou o preço-alvo da Hapvida a R$ 19,36 - mas rebaixou para neutra a recomendação do papel, diante do ganho limitado de valorização estimado em 15%. “Apesar de ter sido a Hapvida a propor a fusão, sabendo que a combinação de negócios geraria valor para ambas, e ainda fazendo com que a nova companhia fruto da união abocanhe bastante mercado, parece haver muito mais espaço de valor em favor da NotreDame”, explicam os analistas Ricardo Boiati e Rafael Une, que assinam o relatório do Safra.

Portanto, foi estimado um novo preço-alvo para as ações da NotreDame a R$ 113,80 - cifra 28% maior em relação ao valor anterior.

O Safra manteve sua aposta de compra e espera ainda um salto de 25% para a companhia.

“No entanto, acreditamos que não haverá prêmio tão alto, já que há risco, por menor que seja, de as negociações não se concretizarem, após de especulações tão positivas que poderiam se reverter em uma balde de água fria para ambas”, alerta a dupla de analistas.

Na opinião de Boiati e Une, a melhor alternativa para sair jogando com a eventual fusão operar com as ações da NotreDame, assumindo que o mercado está precificando não apenas criação de ganho companhia, mas também transferência de valor da própria Hapvida.

Este artigo foi resumido em 5%

Originalmente Publicado: 11 de Janeiro de 2021 às 11:37

Fonte: Moneytimes.com.br