A avaliação técnica feita por três áreas distintas da Anvisa, que são as áreas responsáveis pelo registro de medicamentos, pela certificação de boas práticas e pela farmacovigilância de medicamentos, que o monitoramento de produto no mercado.

Também será a primeira vez que uma reunião pública da Diretoria Colegiada da Anvisa acontece num domingo.

O laboratório busca autorização para uso de 6 milhões de doses da vacina Coronavac que foram importadas da China ainda no ano passado.

A medida vale a partir do momento em que a decisão for publicada no Diário Oficial da União, o que deve ocorrer no mesmo dia.

O ministro da Saúde enfrenta críticas por não dar uma previsão exata para o início da imunização -nesta semana, disse apenas que deve ocorrer no “Dia D” e na “Hora H”. A opção por fazer a cerimônia avaliada pelo Ministério da Saúde.

O início da campanha de vacinação no dia 19 de janeiro colocaria o governo federal frente do governo paulista, que pretendia começar a imunização em 25 de janeiro e já declarou que poderia solicitar uma antecipação caso a Anvisa libere o uso das doses antes dos dez dias de análise.

Nos últimos meses, a Coronavac tem estado no centro de uma guerra política entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador paulista, que são adversários para as eleições de 2022.

Este artigo foi resumido em 78%

Originalmente Publicado: 13 de Janeiro de 2021 às 18:23

Fonte: Uol.com.br