Todo o Estado de São Paulo regride para a fase vermelha do plano de quarentena para tentar conter o avanço da covid-19.

“Essa uma problemática que o mundo todo enfrenta ao longo da pandemia. Nós estamos agora avançando com as restrições e com isso também diminuindo a circulação de pessoas. Seguimos com o metrô e os trens com os protocolos e dentro disso, trabalhando a sociedade, trabalhando para que a gente possa ter ao longo dos próximos dias uma circulação menor de pessoas. Os protocolos estão prontos e estamos trabalhando a casa dia melhorar este fluxo de pessoas, metrô e trem envolvidos com estes protocolos”.

O transporte escolar continuará para estes alunos de acordo com o secretário da Educação, Rossieli Soares, que ainda recomendou que quem tem condições de acompanhar o ensino remoto fique em casa.

De acordo com o coordenador do Centro de Contingência da covid-19, Paulo Menezes, diferentemente da primeira onda, o momento atual pior porque a pandemia se dá de forma generalizada em todo o Brasil e não há somente surtos por região.

Na terça-feira, 02 de março de 2021, o prefeito de Campinas, Dario Saadi, anunciou a fase vermelha para a cidade entre os dias 03 e 16 de março, só com atividades essenciais, como saúde, ônibus, farmácias e supermercados, por exemplo, podem funcionar.

Br/2021/02/24/entrevista-abc-vai-ter-lockdown-a-partir-das-21h-e-onibus-municipais-deixam-de-operar-as-22h/. A reclassificação anterior do governo do Estado ocorreu em 26 de fevereiro de 2021 quando a capital paulista, a Grande São Paulo, Campinas, Registro e a região de Sorocaba voltam da fase amarela para a fase laranja, a segunda mais restritiva da quarentena.

Ainda de acordo com a atualização anunciada em 08 de janeiro de 2021, todas as atividades permitidas puderam funcionar oito horas por dia e a ocupação dos estabelecimentos na fase laranja passa de 20% para 40% da capacidade.

Este artigo foi resumido em 79%

Originalmente Publicado: 3 de Março de 2021 às 12:56

Fonte: Diariodotransporte.com.br