Ataque terrorista às Torres Gêmeas em setembro de 2001 - Foto: Marty Lederhandler/AP. O FBI liberou neste sábado o primeiro lote de documentos relacionados investigação dos ataques terroristas de 11 de setembro, seguindo uma ordem executiva do presidente Joe Biden.

As informações são do portal de internet da CNN. O documento liberado de 2016 e detalha conexões e depoimentos de testemunhas que levaram o FBI a suspeitar de Omar al-Bayoumi, que supostamente era um estudante saudita em Los Angeles, mas que o FBI suspeitava ser um agente de inteligência saudita.

O relatório descreve envolvimento dele em apoio logístico a pelo menos dois dos homens que sequestraram aviões em 11 de setembro, como fornecimento de “Assistência em viagens, hospedagem e financiamento”.

A embaixada saudita em Washington informou na quarta-feira que “Qualquer alegação de que a Arábia Saudita cúmplice dos ataques de 11 de setembro categoricamente falsa”.

O presidente americano assinou no último dia 3 de setembro a ordem para que o Departamento de Justiça e outras agências federais avaliassem a retirada do sigilo.

“Quando me candidatei presidência, assumi o compromisso de garantir a transparência quanto divulgação de documentos sobre os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001”, disse Biden em um comunicado.

Até 11 de setembro de 2021: relatório do FBI sobre os atentados de 11 de setembro feito por uma Comissão do Congresso.

Este artigo foi resumido em 58%

Originalmente Publicado: 12 de Setembro de 2021 às 00:24

Fonte: Globo